Fundo com vetores

O processo seletivo que fortaleceu o serviço do Hot Dog Club

Case | Cultura Organizacional

Leitura de 4 minutos · 09 ago, 2018 · por Barbara Silva

Não há entrega de serviço sem pessoas alinhadas.

A visão da liderança é determinante na idealização de novos serviços que ditam o mercado, mas sem um time alinhado com a sua proposta de valor e com a personalidade adequada pra entregar serviço, a ideia não se torna realidade, treinamentos e gestão são fundamentais. A Oni é o agente responsável por fazer essa conexão de ponta a ponta e desenvolvimento do processo seletivo e da estratégia de fomento da cultura empresarial que fez tudo acontecer.

O Hot Dog Club nasceu da vontade de unir o gourmet com o fast food, de criar experiências e fazer as pessoas viajarem e explorarem novas relações por meio do sabor, mostrando que para comer bem não é necessário gastar uma fortuna. Uma proposta audaciosa para se relacionar com o cachorro-quente, algo tão comum no dia a dia, seja na festinha infantil ou no pós-balada do final de semana. Muitos atores foram responsáveis por viabilizar essa proposta, que deveria ser tangibilizada em suas receitas originais, arquitetura, jornada de serviço, seleção de fornecedores de altíssima qualidade, mas também por quem de fato iria entregar essa experiência diretamente aos consumidores.

Foi responsabilidade da Oni não só desenhar a jornada de serviço em relação a todos os pontos de contato dos clientes, mas também a jornada dos colaboradores – que chamamos aqui de clubbers – desde a sua seleção, passando pelo treinamentos, acompanhamento e evolução. Um trabalho que uniu design de serviço à cultura e treinamento empresarial para inovar no mercado alimentício, uma proposta que você pode ver ao vivo no Aeroporto de Brasília e no Parkshopping.

Aqui vamos apresentar o resumo de como resolvemos com a lente do design thinking um dos grandes desafios encontrados pelo HDC: Qual o processo seletivo ideal pra encontrar os clubbers ?

Hot Dog Club do Aeroporto de Brasilia

O Processo Oni para a seleção do time

O processo seletivo é a base da cultura organizacional foi desenhado em etapas incrementais para validação ponto a ponto:

1. Definir o perfil comportamental 

Uma marca tão jovem e audaciosa teve sua personalidade definida e precisava dar match com o time. Ser explorador e desenrolado é o básico, alegria em servir é essencial.

2. Definir os conhecimentos necessários

Por ter uma proposta vinculada diretamente à alta gastronomia é importante se interessar pelo tema, conhecer os chefs que assinam o cardápio e dar até sugestões de harmonização.

3. Definir os papéis de atuação 

Os dogs são todos preparados na hora e a intenção de ser rápido reduziu a linha de produção: caixa que também é atendimento e recepcionista, lado a lado dos chefs responsáveis por preparar e entregar os cachorros quentes mais bonitos e apetitosos possíveis.

4. Desenhar o processo seletivo

Após todas essas definições, desenhamos a jornada de seleção desde a indicação de onde divulgar, até perguntas e dinâmicas a serem feitas para validar todos os pontos desejados. Como o perfil é bem específico mão na massa também é necessária pro teste e por isso a parte final é um experimento pra ver na prática as competências e comportamentos.

5. Desenhar o treinamento 

O serviço é único e as expectativas em relação à atuação também, principalmente se comparadas com outros fast-foods, por isso um treinamento focado nos clubbers foi todo desenhado para que os conhecimentos fossem balizados, facilitando também o entendimento dos processos, requisitos de segurança e de avaliação.

6. Desenhar a jornada de crescimento

Um dos entendimentos durante o processo foi que o perfil que buscamos para entregar o serviço precisa de outros estímulos para se manter engajado na sua jornada. Para isso desenhamos todos os marcos de crescimentos, ganhos e expectativas, assim a exploração também é promovida aos clubbers.

Time Hot Dog Club no Na Praia

Impactos do Processo

1. Um processo de seleção validado e replicável

Utilizado desde a seleção da primeira equipe, o processo se mostrou um sucesso, atraindo perfis muito desejáveis para atuar na HDC e que continuam até hoje, acompanhando toda a expansão que a empresa está vivendo.

2. Um time em constante evolução

Com treinamentos contínuos e checkpoints recorrentes de feedback, os clubbers sabem que a entrega do serviço é o mais importante e onde eles têm de ser atentos a todo o momento.

3. Diretrizes que possibilitam a expansão

O book do clubber, onde todo o processo, interesses e ações definidos no desenvolvimento do projeto consolidou toda a inteligência da forma de contratar e treinar os clubbers. Um material essencial para a rápida expansão do negócio que o ajuda a não perder seus valores originais.

4. Um ambiente de trabalho atrativo para jovens exploradores

A cultura empresarial fortaleceu a marca do HDC e possibilitou que ele fosse um local envolvente e com muitos interessados em fazer parte do time, sendo uma empresa desejável não só pelo público externo mas para possíveis colaboradores.


Já viajou nos sabores do Hot Dog Club? Eles estão no Aeroporto de Brasília, Parkshopping e participam de eventos como no Na Praia e Surreal.

Hot dog Crispy, um dos mais vendidos do Hot Dog Club

Mais conteúdo sobre

Cultura Organizacional